domingo, maio 31, 2009

Isto de blog não tem nada.

Ao lado

Passei ao lado da minha própria vida.
Hoje tive a certeza. E amanhã ainda a terei.
Depois de amanhã, certamente, tudo voltará a ser como era até ontem.

sábado, maio 30, 2009

Samuel Uria - something

Ele é dali... de Lageosa do Dão. Está em grande, pela capital, a tocar em locais míticos acolhedores de grandes músicos.
Um dia voltará à ACERT e eu estarei lá para o aplaudir.
Por enquanto, fica a prova de que me refiro a um grande artista da Beira.

terça-feira, maio 26, 2009

Medina Carreira - A Grande Porca

Eu concordo com este senhor!
Vamos acabar com os partidos políticos?
Vamos fazer uma revolução?
Todos os sectores da sociedade, à excepção dos politicos e da banca, estão fartos dessa gente... Fartos da Grande PORCA!

domingo, maio 24, 2009

Fim de semana


Bem aproveitado!...


terça-feira, maio 19, 2009

Eu sei...

Este vídeo é , talvez, a melhor amostra do que pretendíamos que fosse o concerto. Pena o silêncio não combinar com a melodia...


video

segunda-feira, maio 18, 2009

Concerto a consertar

Já passaram largas horas desde o concerto no Design Bar e eu ainda não consegui encontrar os adjectivos certos para o definir.
Aqui fica uma imagem, na esperança que valha por mil palavras.






Desculpa, Diogo! Mas ainda não tenho nenhuma onde apareças...
Talvez aqui já haja!...

sexta-feira, maio 15, 2009

É amanhã

Este é o desenho oficial...
.
.

terça-feira, maio 12, 2009

domingo, maio 10, 2009

O Rapaz, o Lobo, a Ovelha e a Alface: Final

E assim chega ao final
Esta história que são histórias
Espero que as diferentes versões
Perdurem nas vossas memórias

O rapaz, o lobo, a ovelha e a alface
De uma história tradicional
Fizemos mais duas ou três
Todas com o mesmo final

Acabaram bem estas tarefas
Sem feridos nem magoados
Foi um prazer enorme apresentar
Esta história aos bocados

Para finalizar
Eis as nossas personagens
Para eles um forte aplauso
De coragem para futuras viagens.

sábado, maio 09, 2009

O Rapaz, o Lobo, a Ovelha e a Alface: Versão da Alface

Tal como acontecera a todos
Também a um sítio os tinha de levar
E o problema mais grave
Era, igualmente, o rio atravessar

Um a um, um a um
Como vou fazer isto
Porque razão a madre legume
Me meteu nisto

Apesar de ser alface
Sou muito inteligente
Eu nunca me engano
E a minha boca não mente

Sabia duas ou três coisas
Uma delas muito velha
A ovelha não come o rapaz
Mas o lobo come a ovelha

Trouxe o lobo comigo
Deixei a ovelha com o rapaz
Fazer mal a um animal tão querido
Ele não seria capaz

Mas foi então que vi com espanto
Eu nem queria acreditar
O rapaz pegou na tesoura
Para a ovelha tosquiar

Tive que levar a ovelha
E o rapaz com o lobo deixar
Espero que o animal não o coma
E para isso ele até ficou a rezar

A partir daqui foi fácil
Levei o rapaz, trouxe o animal
Depois levei o lobo, depois a ovelha
E a tarefa chega ao final.

quinta-feira, maio 07, 2009

O Rapaz, o Lobo, a Ovelha e a Alface: Versão da Ovelha

A mãe mé mé
Disse-me assim
Leva esta gente contigo
E tenta chegar ao fim

No problema do rio
Levei logo o menino João
Deixar o lobo com a alface
Não era perigoso não

Mas o que eu não sabia
É que o lobo era americano
E estava a fazer dieta
O lobo era vegetariano

Se levasse o lobo pró outro lado
Deixava o rapaz com a alface
E assim não havia perigo
Porque legumes não era nada que ele gostasse

Depois levei a alface
E trouxe comigo o animal
A minha presença feroz
Não deixava acontecer nenhum mal

O resto é como sabem
Primeiro o rapaz, assim
Depois o lobo
Que deixei para o fim

Na caminhada continuei
Sempre alerta no caminho
Foi esta a minha versão
Que contei com carinho

segunda-feira, maio 04, 2009

O Rapaz, o Lobo, a Ovelha e a Alface: Versão do Lobo

A mãe loba disse-me:
Leva esta alface, este rapaz
E também esta ovelha
Ali para os lados de Dardavaz

Mas lá estava a questão do rio
E está-se mesmo a ver
Só podia levar um a um
O que iria eu fazer

Tal como acontecera ao rapaz
Se eu o levasse a ele à frente
A ovelha comia a alface
Num manjar excelente

Se eu levasse só a ovelha
O rapaz, ouçam bem o que digo,
Comia a alface de uma vez só
E até lhe chamava um figo

Tive de levar a alface
E ficar a ovelha e o rapaz
Depois regressei sozinho
Para ver do que era capaz

Levei o rapaz e trouxe a alface
Comigo a observar
A ovelha a alface
não ia sequer provar

Levei a ovelha comigo
A alface deixei para trás
Este animal posso deixar
Sozinho com o rapaz

Depois este legume
Voltei para vir buscar
E com eles todos juntos
A viagem pude continuar.

domingo, maio 03, 2009

La Mamma Morta

É só fechar os olhos e deixarmo-nos ir...

sábado, maio 02, 2009

O Rapaz, o Lobo, a Ovelha e a Alface: Versão do Rapaz

Minha mãe disse-me assim
Ó João tenho um recado
Mas para o fazeres
Tens de ter muito cuidado

Leva o lobo, a ovelha e alface
Para casa da tua tia
Mas cuidado com o rio
Imagina como um adulto faria

A tarefa mais difícil
Era um rio atravessar
Porque havia elementos
Que sozinhos não podia deixar

Se eu pudesse levar todos
A tarefa não tinha problema algum
Mas a minha grande dificuldade
É que só podia levar um a um

Se na minha primeira opção
Eu o lobo levasse (leva o lobo)
A ovelha ficava gulosa
E comia a alface

Se eu decidisse levar a alface
Para a safar de ser engolida
O lobo ia atrás da ovelha
E esta acabava por ser comida

Falta-me levar então
A ovelha pela minha mão
O lobo e a alface sozinhos
Não há problema, não

Volto sozinho para perto deles
E começo a pensar
Se eu a alface levar
A ovelha ela vai devorar

Se eu levar o lobo
O mesmo problema acontece
Ele vai atrás da ovelha
E ela até estremece

E agora o que faço?
Vocês podem-me ajudar
Estou a ficar sem ideias
E a tarefa vai-se complicar

Foi então que me lembrei
Levo a alface e regresso com a ovelha
Comigo aqui presente, se ela a comer
Leva na telha…

Depois faço o mesmo aqui
Deixo a ovelha e levo a lobo
Que assim estes dois não se comem
Nem por fome nem por roubo

No final eu regresso
E ponho a ovelha no lugar
O desafio está ultrapassado
A viagem vou poder continuar