segunda-feira, janeiro 19, 2009

Prólogo (uma espécie de)

Foi no Penedo da Saudade que a reconheci. Era madrugada, quase manhã, e o perigo adormecera ao primeiro sinal do raiar de um novo dia.
Ela trazia o nervosismo habitual e o silêncio apaziguador. Limitava-se a sorrir enquanto eu demonstrava o meu conhecimento sobre a cidade que acabara de nos unir.
- Aeminium é o nome romano de Coimbra - comentei.
Ela não disse nada.
Deixou o vento responder,que se manifestou com uma brisa mais forte.
Percebi o sinal e abracei-a.
Nessa altura, creio que ambos fechámos os olhos, como se nos quiséssemos ver por dentro um do outro. Como se quiséssemos estar dentro um do outro.
Entretanto, ouvia-se, atrás de nós, um barulho intermitente, mas constante. Semelhante ao de uma carrinha com caixa frigorífica a fazer marcha atrás.
- Que raio! - pensei - quem será?

Abri os olhos e vi que passavam dois minutos das sete da manhã. Com uma palmada, desliguei o despertador, afastei os cobertores e olhei para o tecto do quarto.

- Tenho que parar de sonhar com isto - murmurei.

9 comentários:

Farpas disse...

Portanto dá para perceber que a história vai ser contada pelo João na primeira pessoa, gosto! É mais fácil de transmitir o que ele sente sendo ele a relatar a história.

miau disse...

Sim, boa ideia... Ao longo da história as emoções transmitidas irão mudando, sem ser preciso descrever a alegria, ansiedade ou tristeza...

A carrinha é de rir!!!!
No entanto não percebo porquê Coimbra, eles vão casar em Coimbra?
Pode ter sido um passeio até à cidade dos estudantes, foram à biblioteca da faculdade...

xeke disse...

mano, tás no teu melhor!

delicioso!

continua...quase me fizeste lembrar o sonho com o "cavalo de Ferro" que ia para coimbra...

Rui disse...

O Cavalo de ferro... Tempos idos!... Ainda terás isso por aí?...
Em relação ao prólogo e ao sonho de Coimbra!
Estava a pensar no João, apaixonado por alguém que conheceu em Coimbra, apenas isso.
Que ele poderá rever (ou esquecer) na Tânia.

miau disse...

Ahhhhhhhhhhh

Outra mulher por quem ele se quer apaixonar...
Ele pode é começar a apaixonar-se sem querer, e depois de tanto lutar para não se apaixonar, percebe que está apaixonado, mas pala Tânia... Sofrido, mas bonito

Sonsdebruniel disse...

Gostei.
Somente tenho a comentar o último parágrafo: Qual o significado do "Eu tenho de parar de sonhar com isto". Geralmente este tipo de exclamação é um reflexo daquilo que gostaríamos de continuar a sonhar....
Continua.

miau disse...

O sonho nem sempre é bom... Há momentos em que é importante deixar de sonhar... O sonho pode ser ilusório, a ilusão encaminhará à desilusão!!

O mais bonito ainda é querer e não se ter força para parar de sonhar, passa a doença crónica, sem tratamento, penosa e sofrida!!

André jesus disse...

=D Está giro. Confesso que pensei que o professor nunca mais fosse começar com isto =D (Isto sim, é escrever) Mais um blog para voltar a acompanhar. Abraço

Martita (ASE) disse...

Obrigada pela homenagem que fazes à minha, à nossa cidade!
Estou a adorar esta história!
Continua, ou melhor continuem!
Bjs